SENADO COMEÇAR A DISCUTIR LEI DO PREÇO FIXO

Senado começar a discutir Lei do Preço Fixo

PublishNews – 27/02/2015 – Leonardo Neto

Fátima Bezerra (PT-SP) quer envolver todos da cadeia produtiva nas discussões sobre o assunto

 

A senadora Fátima Bezerra (PT/RN) apresentou, na última quarta-feira (25), o Projeto de Lei 49/2015 que propõe uma regulação de preços de livros no Brasil, criando uma política nacional de fixação do preço do livro, estabelecendo regras para a comercialização e difusão do livro. Pela proposta, o preço definido pela editora deverá ser praticado por todos os varejistas pelo prazo de um ano a partir do seu lançamento ou importação e será proibido a venda por preços inferiores ao estabelecido. A senadora disse ao PublishNews na manhã desta sexta-feira (27) que está empenhada em aprovar a lei e que pretende envolver todos os segmentos da cadeia produtiva do livro em um grande debate. “Pretendo realizar um seminário no Senado e trazer representantes de países onde a lei está em curso para contribuir com o debate”, adiantou a senadora. “O que me move ao tomar essa iniciativa é o desejo de contribuir com o acesso do livro e da leitura no país. O acesso à leitura no país hoje é muito frágil. Qualquer iniciativa que venha na direção de contribuir com o acesso à leitura é uma iniciativa bem-vinda”, defendeu.  O objetivo da lei, segundo está na íntegra do projeto, que pode ser acessada aqui, é garantir que a oferta de livros seja acessível ao grande público, além de proteger a pluralidade de pontos de vendas e garantir a igualdade de condições aos empreendedores livreiros. A iniciativa da senadora está em consonância com a bandeira defendida pela Associação Nacional das Livrarias (ANL). Edinilson Xavier, presidente da ANL até o próximo dia 17, quando será eleito o novo dirigente, defende que o projeto não é uma lei de tabelamento de preços. “O que a gente quer é que as livrarias não sejam excluídas do processo de formação de leitores. A lei não é para tabelar preços. Vem para disciplinar a lógica de um mercado. Queremos estabelecer regras e o principal argumento da regulamentação do mercado é fazer com que, em qualquer lugar do Brasil, tenha uma livraria. Queremos estimular os empreendedores a perceber que a livraria pode ser um bom negócio”, disse ao PublishNews. Xavier diz que o trabalho agora será na conscientização da sociedade sobre os benefícios que a lei pode trazer para o Brasil.

 

MARCADOR DE LIVRO ENVIA TUÍTES PARA LEITORES RETOMAREM A LEITURA

Redes sociais e comunicadores instantâneos juntaram-se às inúmeras tarefas cotidianas das pessoas, roubando o espaço de uma atividade saudável e prazerosa para a mente: a leitura. Na campanha da agência Mood para a editora Penguin, em vez de um vilão que impede o leitor de encarar os últimos capítulos do livro, o digital atua como um aliado.

Tweet For Read (Tuíte para ler, em tradução livre do inglês), eleito pelo IAB Brasil como o melhor case de julho, consiste em um marcador de página que emite um alerta no Twitter quando a pessoa passa um tempo sem ler. A ferramenta possui um sensor de luz e um timer que é ativado no escuro. Se o título não for aberto durante uma semana – ou um período previamente programado), um nano computador com wi-fi localizado no dispositivo dispara um tuíte para o perfil do leitor com uma frase do autor que está sendo lido.

A ação partiu de uma pesquisa da Fundação Pró-Livro e do Ibope Inteligência, divulgada no início do ano, cujos dados apontam que a queda do hábito de leitura deve-se ao fato de que as pessoas preferem ver entretenimento na televisão e na internet.

Fonte: Blog do Galeno

DUVIDAS SOBRE COMO CRIAR UM PROJETO LITERÁRIO? SOS LITERÁRIO

Acontecerá neste próximo final de semana (dias 23 e 24.08) um encontro muito bacana entre profissionais da industria do livro e autores que ainda não conseguiram , editores e

duvida

promotores culturais terão a rara oportunidade de se encontrarem com profissionais da industria do livro, que tirarão duvidas sobre publicações, direitos autorais, edição de livros, produção gráfica, e-books e muitos outros assuntos

O plantão literário contará com a presença dos escritores Roberto Taddei e Andréa Catrópa, além do webdesigner Ricardo Botelho, o jornalista Haroldo Ceravolo, o artista gráfico Leonardo Mathias e o advogado João Ibaixe Jr.

O S.O.S Literatura acontece das 14h às 18h, na Casa das Rosas (Av. Paulista nº 37, perto da estação Brigadeiro do metro).

LIVRARIAS PRESSIONAM PELA LEI DO PREÇO FIXO

ahhh

A notícia de que a Amazon esta prestes a começar a venda de livros impressos no Brasil reacendeu a discussão a respeito da Lei do Preço Fixo, que pretende regulamentar o mercado livreiro de modo a impedir a concorrência desleal e “canabalização” do mercado, como definiu o vice-presidente da ANL – Associação Nacional de Livrarias, Augusto Mariotto Katter. “O interesse da Amazon pelo mercado brasileiro é a prova de que o livro é um bom negócio”, observa Mariotto.

“Não somos contra a Amazon vir para cá. Somos contra a canibalização que a Amazon faz com mercados sem regulamentação”, completa o vice-presidente.

Na tentativa de ilustrar a importância da regulamentação, a ANL trouxe recentemente ao Brasil dois especialistas internacionais para falar sobre as suas respectivas realidades. De um lado, Oren Teicher, presidente da ABA (American Booksellers Association) vai mostrar como funciona o Mercado não regulado dos EUA e do outro, o francês Jean-Marie Ozanne (Editions Folies D’encre) vai mostrar como a França tem se organizado para proteger as suas livrarias. “Não queremos um mercado protecionista, queremos um mercado de concorrência legal”, defende Mariotto. O painel com os dois representantes internacionais acontece no dia 20, a partir das 14h.

Na França, onde recentemente o Parlame

nto aprovou uma “lei anti-Amazon”, livrarias (físicas ou on-line) não podem vender aos consumidores finais com descontos superiores a 5% e não podem praticar a política do frete grátis. A resposta da Amazon foi imediata e a varejista driblou a lei, passando a oferecer o frete a um centavo. “Isto prova que a exceção cultural exige uma luta permanente em sua defesa”, disse Ozanne em entrevista à revista da ANL que será distribuída durante a convenção. “Os políticos modificaram sua maneira de encarar as livrarias independentes, que são vistas hoje como um local de vida, uma riqueza, um capital de animação cultural”, comentou o convidado especial da convenção.

As discussões sobre a realidade das livrarias brasileiras e seus percalços levam invariavelmente às discussões em torno da Lei do

Preço Fixo. Segundo informações da ANL, pela primeira vez na história, outras entidades se declaram favoráveis à causa. De acordo com Ednilson Xavier, presidente da ANL, a CBL já se declarou favorável e partes do SNEL também já vê vantagens na aprovação da Lei. No entanto, ainda não há nenhuma ação em curso para que se reapresente algum projeto de lei no Congresso Nacional. O presidente da entidade disse que, por conta do período eleitoral que se aproxima, não se justifica entrar com nova tentativa de apreciação da Lei no Congresso Nacional. As novas investidas ficarão, portanto, para o início do ano, quando o cenário estiver mais consolidado.

“Ao contrário do que se pensa, a Lei do Preço Fixo não vai encarecer o livro, ao contrário, vai torná-lo mais acessível à maior parte da popula

ção”, garante Mariotto. A proposta da ANL é que, no primeiro ano de vida de um livro, seja praticado o preço de capa. “Implantando a regulamentação do mercado, você defende e protege a bibliodiverisdade. A regulamentação faria que empresários se sentissem incentivados a abrir mais livrarias. Fomentaria o incentivo à leitura”, defende o vice-presidente.

Fonte: publishnews – edição 19.08.2014

RESENHA: O ESPELHO, ESCRITO POR CARLOS NEVES

O ESPELHO, romance espírita escrito por CARLOS NEVES, narrado pelo espírito de Frederic Dupree, lançado recentemente pela EDITORA BARAÚNA, recebeu uma ótima avaliação do pessoal do blog LITERATURA DE CABEÇA. Confiram:

“Ele não sabia quem era, nem o que era, muito menos como havia ido parar dentro daquele espelho. Não sentia calor, frio e fome, mas conhecia muito sobre os humanos.”
E assim começa o romance espírita O Espelho (Editora Baraúna, 166 páginas). Narrado pelo espírito de Frederic Dupree, somos levados para dentro do espelho na busca por entender quem é aquele ser e o que ele faz ali, encarcerado.
O ser do espelho sabe de muitas coisas sobre a humanidade. Coisas que humanos simplesmente se esquecem ao nascer neste mundo. Mesmo sabendo sobre a vida, a morte e a espiritualidade, esse ser não imagina o que seja e o porquê de estar preso ao espelho.
E assim está há 3 séculos, preso ao espelho, sem ninguém para conversar. É só ele e a solidão. Mas, pelo menos, o ser consegue ver através do espelho. Consegue ver as pessoas levando suas vidas, sem imaginar que ali, naquele espelho, vive alguém solitário.
Mas então, um dia, o dono do espelho morre e este é lacrado e esquecido em um lugar qualquer. Enclausurado, sem poder ouvir ou ver nada do mundo lá fora, o ser acha que está tudo acabado.
Eis que, após muito tempo, alguém reencontra o espelho e este é pendurado em um novo lar. Nessa nova casa, a família composta por mãe e três filhos, trará  novamente um pouco de alegria à vida encarcerada do ser do espelho.
A mãe, Andreína, resolve analisar o espelho mais de perto e lê, em voz alta, alguns inscritos na madeira que emoldura o espelho. Algo incrível então acontece.
Andreína escuta a voz saída do espelho e o desenrolar dessa narrativa fica muito interessante depois disso.
Muitas são as mensagens e ensinamentos desse livro. Para os espiritulistas e espíritas, esse livro será um deleite. Para pessoas de qualquer outra crença, pode ser uma descoberta fenomenal.
Apesar de estarmos falando de um romance espírita, não existe “pregação”. O que existem são ensinamentos universais, divinos, que todo ser humano deveria ter contato em algum momento de sua existência.
É um livro de linguagem simples, superacessível a todos os que quiserem desvendar os mistérios da vida e da morte. Assuntos como o Karma também são reveladores e nos trazem uma visão bem otimista da vida na Terra e também do pós-vida.
Gostei desse livro. Interessante, instigante, revelador. Recomendo a todos os que buscam as respostas para uma vida, que aparentemente, não tem muito sentido.

6 COMENTÁRIOS:

Douglas Dias Brandão disse…1Eu sinceamente não gosto de ler esses livros de espiritos ditados. Eu respeito muito, mas não faz meu estilo, acho que tenho medo. Mas vou dar uma chance e começar a ler esses livros assim, muitas pessoas me indicam a Zibia Gaspareto e esse em questão vou levar em conta e por na minha lista!

28 de outubro de 2011 13:04

VAN disse…2Douglas, eu acho bem interessante esse tipo de literatura. Isso pq os espíritos possuem uma ideia mais abrangente sobre a vida, o universo e tudo o mais (adoro esse livro do Douglas Adams!). Sempre nos trazem mensagens implícitas para refletirmos e repensarmos nossa maneira de viver.

29 de outubro de 2011 14:28

helena de paula disse…3helena de paula disse…
Douglas eu sou suspeita para falar deste livro ate por que tem um poema que gentilmente cedi ao escritor…Carlos Neves,Mas recomendo sim para você entender QUE este lindo romance nada tem a ver com os tais livros espiritos e apenas um lindo romance mesmo, que inclusive tem continuaçâo MATHEUS. Um beijo da Helena de Paula,autora dos MOINHOS de VENTO!
31 de outubro de 2011 12:26

31 de outubro de 2011 17:29

Samuely B B L disse…4van, também gosto desse tipo de literatura… dá um espaço pro autor explorar outros vertices da vida, universo e tudo mais [pq eu tb adoro esse livro do douglas adams kkkkkkkkk]. gostei muito de o espelho, e interessante ele ser uma linguagem simples e tão cativante.

31 de outubro de 2011 20:29

Rodolfo Euflauzino disse…5Querida Van, gosto de livros espíritas ou melhor, romances espíritas e fiquei encantado com este. É uma história no mínimo diferente. Interessei-me.

3 de novembro de 2011 14:46

Eu e Meus Livros disse…6Carlos Neves.
Este romance foi escrito em 2002. Somente este ano consegui publicar.
Na verdade não é um livro espirita, mas espiritualista e nem aborda um lado de doutrina. Pelo contrário, trata-se de um romance voltado para a vida espiritual, onde sua narrativa é livre de religião.
O encanto deste romance é que ele aborda temas da nossa vida que foram bem encaixadas no transcorrer do seu texto. Por outro lado, as narrativas sobre as meditações e questionamentos do espirito que vive no espelho, são deveras lindas.
Meu mentor espiritual, Frederic Dupree havia passado todo o roteiro para que eu desenvolvesse, mas em muitos capítulos ditava tais narrativas.
Este romance é diferente de tudo o que até hoje já foi publicado no tangente a outras obras espiritas e espiritualistas. Por isso ele prende o leitor do inicio ao fim.

9 de novembro de 2011 11:13

PREMIAÇÃO DO 53º JABUTI ACONTECERÁ NO DIA 30.11.2011


A cerimônia de premiação do Jabuti será na quarta – feira, 30 de novembro, na Sala São Paulo. Cada ganhador receberá R$3 mil por categoria e o quelônio metálico. Os melhores Livros do Ano – de Ficção e Não-Ficção – ganham a quantia de 30 mil reais. Foram analisadas 2.619 obras pelo júri para chegar a essa listagem final. A escolha do Livro do Ano de Ficção e de Não Ficção, por sua vez, seguirá as mesmas regras das edições anteriores. Os finalistas do Livro do Ano Ficção serão os vencedores do Jabuti nas categorias: “Romance” (Ribamar); “Contos e Crônicas” (Desgracida); “Poesia” (Em alguma parte alguma); “Infantil” (Obax) e “Juvenil” (Antes de virar gigante e outras histórias). Para o Livro do Ano Não Ficção, participam os vencedores nas categorias: “Teoria/Crítica Literária” (Câmara Cascudo e Mário de Andrade – Cartas, 1924-1944); “Reportagem” (1822); “Ciências Exatas” (Teoria Quântica: estudos históricos e implicações culturais); “Tecnologia e Informática” (Aprendizagem à distância); “Economia, Administração e Negócios” (Multinacionais brasileiras: internacionalização, inovação e estratégia global); “Direito” (Fundamentos constitucionais do direito ambiental brasileiro); “Biografia” (O Teatro & Eu – Memórias); “Ciências Naturais” (Bioetanol de cana-de-açucar – P&D para produtividade e sustentabilidade); “Ciências da Saúde” (Atlas de endoscopia digestiva da SOBED); “Ciências Humanas” (Manejo do Mundo: conhecimentos e práticas dos povos indígenas do Rio Negro); “Didático e Paradidático” (Coleção Pessoinhas); “Educação” (Impactos da violência na escola: um diálogo com professores); “Psicologia e Psicanálise” (Coração… É emoção: a influência das emoções sobre o coração); “Arquitetura e Urbanismo” (Dois séculos de projetos no Estado de São Paulo – Grandes obras e urbanização); “Fotografia” (Fotografia de Natureza); “Comunicação” (Impresso no Brasil); “Artes” (Os Satyros); “Turismo e Hotelaria” (Hospitalidade – A inovação na gestão das organizações prestadoras de serviços) e “Gastronomia” (Machado de Assis: Relíquias Culinárias).