RESENHA: O ESPELHO, ESCRITO POR CARLOS NEVES

O ESPELHO, romance espírita escrito por CARLOS NEVES, narrado pelo espírito de Frederic Dupree, lançado recentemente pela EDITORA BARAÚNA, recebeu uma ótima avaliação do pessoal do blog LITERATURA DE CABEÇA. Confiram:

“Ele não sabia quem era, nem o que era, muito menos como havia ido parar dentro daquele espelho. Não sentia calor, frio e fome, mas conhecia muito sobre os humanos.”
E assim começa o romance espírita O Espelho (Editora Baraúna, 166 páginas). Narrado pelo espírito de Frederic Dupree, somos levados para dentro do espelho na busca por entender quem é aquele ser e o que ele faz ali, encarcerado.
O ser do espelho sabe de muitas coisas sobre a humanidade. Coisas que humanos simplesmente se esquecem ao nascer neste mundo. Mesmo sabendo sobre a vida, a morte e a espiritualidade, esse ser não imagina o que seja e o porquê de estar preso ao espelho.
E assim está há 3 séculos, preso ao espelho, sem ninguém para conversar. É só ele e a solidão. Mas, pelo menos, o ser consegue ver através do espelho. Consegue ver as pessoas levando suas vidas, sem imaginar que ali, naquele espelho, vive alguém solitário.
Mas então, um dia, o dono do espelho morre e este é lacrado e esquecido em um lugar qualquer. Enclausurado, sem poder ouvir ou ver nada do mundo lá fora, o ser acha que está tudo acabado.
Eis que, após muito tempo, alguém reencontra o espelho e este é pendurado em um novo lar. Nessa nova casa, a família composta por mãe e três filhos, trará  novamente um pouco de alegria à vida encarcerada do ser do espelho.
A mãe, Andreína, resolve analisar o espelho mais de perto e lê, em voz alta, alguns inscritos na madeira que emoldura o espelho. Algo incrível então acontece.
Andreína escuta a voz saída do espelho e o desenrolar dessa narrativa fica muito interessante depois disso.
Muitas são as mensagens e ensinamentos desse livro. Para os espiritulistas e espíritas, esse livro será um deleite. Para pessoas de qualquer outra crença, pode ser uma descoberta fenomenal.
Apesar de estarmos falando de um romance espírita, não existe “pregação”. O que existem são ensinamentos universais, divinos, que todo ser humano deveria ter contato em algum momento de sua existência.
É um livro de linguagem simples, superacessível a todos os que quiserem desvendar os mistérios da vida e da morte. Assuntos como o Karma também são reveladores e nos trazem uma visão bem otimista da vida na Terra e também do pós-vida.
Gostei desse livro. Interessante, instigante, revelador. Recomendo a todos os que buscam as respostas para uma vida, que aparentemente, não tem muito sentido.

6 COMENTÁRIOS:

Douglas Dias Brandão disse…1Eu sinceamente não gosto de ler esses livros de espiritos ditados. Eu respeito muito, mas não faz meu estilo, acho que tenho medo. Mas vou dar uma chance e começar a ler esses livros assim, muitas pessoas me indicam a Zibia Gaspareto e esse em questão vou levar em conta e por na minha lista!

28 de outubro de 2011 13:04

VAN disse…2Douglas, eu acho bem interessante esse tipo de literatura. Isso pq os espíritos possuem uma ideia mais abrangente sobre a vida, o universo e tudo o mais (adoro esse livro do Douglas Adams!). Sempre nos trazem mensagens implícitas para refletirmos e repensarmos nossa maneira de viver.

29 de outubro de 2011 14:28

helena de paula disse…3helena de paula disse…
Douglas eu sou suspeita para falar deste livro ate por que tem um poema que gentilmente cedi ao escritor…Carlos Neves,Mas recomendo sim para você entender QUE este lindo romance nada tem a ver com os tais livros espiritos e apenas um lindo romance mesmo, que inclusive tem continuaçâo MATHEUS. Um beijo da Helena de Paula,autora dos MOINHOS de VENTO!
31 de outubro de 2011 12:26

31 de outubro de 2011 17:29

Samuely B B L disse…4van, também gosto desse tipo de literatura… dá um espaço pro autor explorar outros vertices da vida, universo e tudo mais [pq eu tb adoro esse livro do douglas adams kkkkkkkkk]. gostei muito de o espelho, e interessante ele ser uma linguagem simples e tão cativante.

31 de outubro de 2011 20:29

Rodolfo Euflauzino disse…5Querida Van, gosto de livros espíritas ou melhor, romances espíritas e fiquei encantado com este. É uma história no mínimo diferente. Interessei-me.

3 de novembro de 2011 14:46

Eu e Meus Livros disse…6Carlos Neves.
Este romance foi escrito em 2002. Somente este ano consegui publicar.
Na verdade não é um livro espirita, mas espiritualista e nem aborda um lado de doutrina. Pelo contrário, trata-se de um romance voltado para a vida espiritual, onde sua narrativa é livre de religião.
O encanto deste romance é que ele aborda temas da nossa vida que foram bem encaixadas no transcorrer do seu texto. Por outro lado, as narrativas sobre as meditações e questionamentos do espirito que vive no espelho, são deveras lindas.
Meu mentor espiritual, Frederic Dupree havia passado todo o roteiro para que eu desenvolvesse, mas em muitos capítulos ditava tais narrativas.
Este romance é diferente de tudo o que até hoje já foi publicado no tangente a outras obras espiritas e espiritualistas. Por isso ele prende o leitor do inicio ao fim.

9 de novembro de 2011 11:13

RESENHA: LEIA-ME – RODOLPHO P. WRAIDER

Ainda no clima do Dia das Bruxas, reproduzimos a resenha feita pelo pessoal do blog LITERATURA DE CABEÇA a respeito do excelente LEIA-ME, livro escrito por RODOLPHO P. WRAIDER, lançamento da EDITORA BARAÚNA:

 

Resenha – Venha ler se tiver coragem

Pode um livro ser assombrado? Será que a simples leitura de páginas sombrias poderia liberar os piores espíritos do inferno?

Willian Shauter achava que não. Extremamente cético, ele só acreditava naquilo que podia tocar, nos limites do racional e do razoável. Até ir visitar o seu avô em um final de tarde…
Foi lá que o senhor de gestos trêmulos lhe mostrou um estranho livro, com letras incompreensíveis, contando sobre uma história antiga. De acordo com seu avô, aquele livro era o portal do mais denso dos infernos e trazia experiências terríveis para quem o lesse.
Willian, não acreditando em nada daquilo, resolveu arriscar e pediu para seu avô que lhe desse aquela misteriosa encadernação escura.
E ao pegar em suas mãos, os textos incompreensíveis se retorceram e criaram um novo nome.
Leia-me…
Mesmo receoso da mágica que ali ocorria, a curiosidade o venceu. E as portas dos seus piores pesadelos se abriram.
Agora era preciso apenas sobreviver… Correr para terminar o livro antes que a vida e de todos que amava fosse bruscamente interrompida.
Será que ele conseguiria?
Opinião do Danilo:

Para ler Leia-me (Editora Baraúna, 196 páginas) de Rodolpho P. Wraider é preciso, antes de tudo, estar preparado para uma história original. O autor foi extremamente criativo, elaborando um enredo de terror bem diferente de outros lançamentos brasileiros. Ele consegue fazer o leitor se adentrar no universo do livro maldito e se desesperar com Willian em suas páginas cheias de sangues, gritos e vísceras. E quando o personagem principal da trama, e nós, trêmulos leitores, terminamos de correr os olhos pelas linhas desta pequena dose de macabro, monstros sombrios tomam força na noite escura.
Rodolpho conseguiu conduzir bem este conceito de várias histórias dentro de uma, já que o livro que Willian abre para ler dentro da trama, nada mais é que contos sombrios espalhados pelas páginas. Alguns são fantásticos, outros o leitor poderia ficar sem, mas na maioria das vezes consegue fazer você se arrepiar e olhar para os lados. Principalmente se estiver sozinho…
O livro, apesar de fino, tem um desenrolar tenso e sufocante. Você não consegue se concentrar em nada a não ser naquelas páginas e fica preso entre mergulhar e sair daquele espiral de loucuras. Cada parágrafo pode te levar ao céu ou inferno em questão de segundos. Mais que isso, você fica pensando em como ele irá sair dessa.
O único defeito do livro, na minha singela opinião, foi a colocação de algumas frases e contextos. Como primeiro livro, o autor se perde em algumas descrições com alguns excessos de palavras para determinadas cenas. Há trechos que poderiam ser alterados ou corrigidos, de forma que dessem uma ideia mais fluida da cena. Acho que na verdade, faltou um pouco da disposição do revisor aparar estas arestas que ás vezes deixa frases meio confusas. Bastava isso para que o texto se tornasse mais sintético e gostoso de ler. Mas isso não atrapalha nada a história, que é onde reside a verdadeira força da obra.
Vai ler este livro? Então te desafio a fazer um teste. Ligue apenas um tênue abajur e, à meia luz e comece a ler, tendo como única testemunha a casa silenciosa.
E se por acaso ouvir passos se arrastando do lado de fora da porta do seu quarto, não se preocupe. É apenas uma prévia do que o livro pode te oferecer…
Opinião da Vanessa Bosso:
Depois dessa brilhante resenha, o que eu posso dizer? Como eu gosto de escrever e dar minha opinião básica, teclarei meus comentários a parte.
Leia-me é uma história louca, super criativa, do tipo que não conseguimos parar de ler. A bem da verdade, acho que temos um certo receio, um medo inconsciente de parar a leitura… também pudera! Vai que espíritos atormentados e aparições fantasmagóricas resolvam nos dar um susto! Eu hein!
Com uma ideia original, Rodolpho P. Wraider estreia em grande estilo. Tenho certeza que suas outras histórias irão nos surpreender tanto quanto essa.
Minha única ressalva é com relação a narrativa. Por ser seu primeiro livro, Rodolpho pecou em alguns momentos, mas, nada que atrapalhe a leitura. Percebemos um autor novo, que vai amadurecendo a narrativa no decorrer do livro. Gostei do estilo dele e tenho certeza que o próximo lançamento terá uma cara diferente, um texto mais maduro. Afinal, nada como o treino para aperfeiçoarmos um dom. Sério mesmo, o Rodolpho tem o dom.
Gostei do livro e recomendo!

10 COMENTÁRIOS:

Josy Tortaro disse…1Uiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii
arrepieiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii
Medo!!!!!!!!!!!!! rsrsrsrsrs
Ótima resenha conjunta!
Sucesso ao Rodolfo!!!!
bjos
Josy Tortaro
Autora da saga Os Quatro Elementos

http://sagaosquatroelementos.blogspot.com

27 de outubro de 2011 12:38

deiare disse…2Eu já estava querendo ler o livro. Gostei muito da resenha e vou ver se o adquiro… Adoro livros nesse estilo, além do que, minha imaginação rola solta em cenas de terror…kkkk.
Dica anotada.
Bjos!!!
Andréia
Sentimento nos Livros

27 de outubro de 2011 12:44

Márcia Paiva. disse…3Olá meninos, ao ler a resenha sabe o que pensei? Se este livro fosse estrangeiro já teria virado filme. Estou errada? Tenho certeza que não. Nossa adorei a resenha. Danilo vou dar uma de covarde, na verdade sou mesmo, morro de medo dessas coisas rs. Cara é sinistro, dizem que o poder da mente faz a gente ver o que não existe, mas acredite eu acredito naquilo que meus olhos mostram. Ptz os meus são terríveis. Se fizer promo vou participar rs. Beijos.

27 de outubro de 2011 13:36

P. Wraider disse…4Adorei a resenha e ambas as opiniões!

Um singelo livro sendo falado por dois grandes autores da literatura nacional!

Estou honrado!

Abs

27 de outubro de 2011 13:38

Denis Lenzi disse…5Você disse livro fino? 196 páginas é fino? Para mim já está bom tamanho, pois se fosse mais de 400 páginas, a pessoa que leu o livro já teria morrido de enfarte ou de vários sustos que o livro trouxe a ele. Pelo que li as resenhas acima, o livro deve ser bem bonzão mesmo, por trazer o medo das pessoas, que é capaz de arrancar as almas como uma forma de fugir desse medo que o livro possa lhe provocar. Será que terei coragem de ler o livro? à meia noite e com uma luzinha inofensiva que possa projetar uma sombra da pior maneira possível já imaginada na parede do quarto ou da sala enquanto ler o novo livro que pede para ser lido? Espero que sim, se conseguir sobreviver para contar aos amigos. Parabens ao autor, pelo seu trabalho de estréia. Sucesso ai!

27 de outubro de 2011 15:07

Rodolfo Euflauzino disse…6Não sei por que cargas d’água quando li as duas resenhas (gostei demais desta ideia de resenha dupla) me lembrei de Clive Barker e sua originalidade ímpar. Quero muito conhecer a obra de Rodolpho, meu xará.

27 de outubro de 2011 15:54

Jessi de Paula disse…7Com certeza eu vou ler esse livro a noite, melhor ainda, vou esperar o fim de semana que todo mundo sai de casa e me deixa sozinha e só voltam à noite. Ta, vai sonhando, sou muito medrosa rsrs.
Fiquei morrendo de vontade de ler, sou daquelas que tem medo até da própria sombra, mas adora ver essas coisas mesmo que na metade já esteja quase enfartando.
Concordo com a Márcia, se fosse lá fora já teria virado filme.

27 de outubro de 2011 17:28

Kelvim Vargas Inácio disse…8Já li o livro do Rodolpho.
É excelente.
Recomendo a todos.
Parabéns pela resenha!
Abraço!

27 de outubro de 2011 21:07

Douglas Dias Brandão disse…9Concordo com a Márcia, o livro tem toda uma estrutura de filme, seria bacana se virasse, rs!

28 de outubro de 2011 10:06

Samuely B B L disse…10PORRAMMMMM, muito boooom!
concordo com lenzi, acho que eu morreria de susto com mais de 196 paginas! kkkkkkk adorei demais essa resenha dupla, louca pra ler!

31 de outubro de 2011 20:40

Postar um comentário

ENTREVISTA: VANESSA BOSSO, AUTORA DE O ELEMENTAL

Entrevista originalmente publicada no blog parceiro FLOREIOS E BORRÕES:

Papo Literário com Vanessa Bosso

Olá leitores, mais uma entrevista aqui para vocês, lembrando que esse meme agora vai ficar conhecido como PAPO LITERÁRIO aqui no blog. Espero toda semana estar postando uma entrevista com autores dos mais variados estilos. Tudo isso é para vocês. 

Eu quero antes de tudo agradecer imensamente a Vanessa por ela ter sido muito simpática comigo, e dizer que sim, você é uma das melhores escritoras que temos hoje no Brasil. Valeu, por tudo!

BIO: Autora é redatora publicitária há mais de 10 anos. Descobriu sua verdadeira vocação há pouco menos de 2 anos quando escreveu seu primeiro romance: 2012 uma aventura no fim do mundo. Depois desse mais três foram escritos: O Elemental, O Imortal e Senhor do Amanhã.

1-Fale um pouco sobre você.

Sou redatora publicitária e hoje atuo como freelancer na área. Escrever agora é minha principal atividade, em tempo integral.

2- Você é uma das melhores escritoras que há no Brasil atualmente, e
eu tenho lido muitos comentários positivos a seu respeito, como você
encara tudo isso?

Eu não sabia disso! Hahahahahahaha. Falta muito ainda para eu chegar a esse patamar. Estou ainda no primeiro degrau da jornada e a cada novo livro, sinto que estou me aperfeiçoando. Talvez, depois de uns dez livros lançados, eu possa me considerar uma ótima escritora. Hoje me considero “em aprendizado”.

3-Quando surgiu a ideia de escrever o livro Elemental?

Eu queria muito escrever sobre o assunto. Sempre me imaginei com o poder sobre os elementos da natureza… principalmente no trânsito! E então, a ideia surgiu do nada e apenas sentei de frente para o Word e deixei fluir.

4- os blogs literários estão muito presentes na vida de um escritor, o
que você acha do trabalho desenvolvido pelos blogueiros?

Os blogueiros são o elo de ligação entre o autor e os leitores. Sem essa ponte, ficaria muito difícil um contato mais direto. Sem os blogueiros, talvez eu levasse mais tempo para alcançar tantas pessoas diferentes… e os leitores dificilmente conheceriam minhas obras.

5- Você tem algum novo projeto para 2.012?

Em 2012 vai acontecer o lançamento do meu quinto livro: Possuída. E espero dar continuidade no livro O 11º Portal, que já está com sete capítulos escritos.

6- Algum autor te inspira?

Sou apaixonada por vários autores mas, não busco inspiração em nenhum deles. Tenho um estilo próprio de narrativa e busco ser original o tempo todo. É difícil e cansativo mas, vale a pena.

7- Jogo rápido:
♦ Um livro: CAMPO DE BATALHA TERRA (L. RON HUBBARD)
♦ Alguem que você levaria para uma ilha deserta: MINHA FILHA… IRÍAMOS BRINCAR MUITO! HAHAHAHAHA
♦ Uma música: JAILBREAK (AC/DC)
♦ Um filme: DE VOLTA PARA O FUTURO
♦ Uma pessoa: MEU PAI

8- Defina-se em uma palavra.

ANSIOSA

9- Qual dos seus personagens é, de alguma forma, seu preferido? Por quê?

SOU APAIXONADA PELO JACK DE SENHOR DO AMANHÃ. É UM AGENTE DO FBI DAQUELES DURÕES… ADORO!

10- Mande um recado para seus leitores.

NUNCA DEIXEM DE SONHAR… ESSA É A RODA DA VIDA!

Adorei a entrevista! Alef, obrigada por esse espaço. E para quem quiser bater um papo, estou sempre no twitter: @vanbosso.



Postado por Alef Dalle Piagge às 18:22
 

2 comentários:

 

Regiane Santana disse…

Nossa que legal, eu adoro quando um escritor é simpático, ela foi super legal. 

15 de setembro de 2011 13:04
 

Fabio Lotito disse…

huu, entrevista com a Van Bosso, eu adoro os livros dela, muito bom O Elemental, eu li, agora só falta vocês! 

15 de setembro de 2011 13:52

 

 

Postar um comentário

 

RESENHA: O ELEMENTAL DE VANESSA BOSSO

 

Resenha – O Elemental

O Elemental
Vanessa Bosso,
Editora Baraúna

Sinopse: O que você faria se descobrisse que possui o poder sobre os quatro elementos da natureza? E que somente despertando esses poderes, poderá salvar o planeta das sombras que se aproximam? Will descobriu isso da pior maneira. Embarque nessa empolgante aventura ao lado de Will e seus amigos na busca pelos quatro elementos da natureza: terra, água, ar e fogo. A batalha está só começando. E o Elemental é o único capaz de nos salvar.

Will não é o tipo de adolescente tipicamente brasileiro. Primeiro de tudo: ele não é brasileiro. Veio dos Estados Unidos com sua mãe há alguns anos atrás.
Seu melhor amigo é Jorge, e os dois são os sacos de pancada da escola, mas já estão acostumados. Só é de se estranhar que Will seja tão rejeitado assim, afinal de contas é estrangeiro e lindo de morrer. Bem, isso você pode ter certeza, será explicado no livro.
Sua vida é drasticamente alterada depois que ele e sua mãe sofrem um grave acidente. Ele sai dessa praticamente ileso, mas não podemos dizer o mesmo de sua mãe. Ela permanece em coma. Então surge um dilema: para onde Will iria, afinal não tem parentes nem no Brasil nem em qualquer parte do mundo, não que ele saiba. Simples! Eis que surge uma bela assistente social que supostamente levaria Will para um orfanato até que sua mãe estivesse em condições de cuidar dele novamente.
Mas Lara, a assistente social não é quem diz ser. Ela não é nem um pouquinho boazinha e só quer capturar Will. Mas aparece uma luz no fim do túnel, literalmente. Arthur chega e salva Will das garras da perigosa Lara.
É nesse momento que você pensa: “Aaah, agora acabou, né?” Mas é aí que você se engana. A história do Elemental está apenas começando.
Ele é levado para a Luminus, organização que ele mesmo criou em vidas passadas, para proteger os Guardiões dos Elementos e a ele mesmo. Lá ele encontra Helena, a dona do local onde a Luminus fica e é ela quem manda em tudo; Gabriel o Guardião do Ar, Lisa filha de Helena e a Guardiã da Água, Mac o Guardião do Fogo, Jasmim a Guardiã da Terra, além de Alana, Hugo e Clara os paranormais da casa.
Para que o Elemental fosse despertado era preciso encontrar os quatro elementos. Só havia um probleminha: eles foram escondidos em locais diferentes e só quem sabia suas localizações eram os Guardiões. Mas isso aconteceu em vidas passadas e eles precisavam se lembrar. Pelo menos eles conseguiam se lembrar aos poucos.
E é a partir daí que a verdadeira aventura começa.

—————————————————————————
Quando eu conheci a Vanessa, há algum tempo atrás, ela estava procurando uma editora para publicar O Elemental, então eu acompanhei desde o início a verdade por trás da publicação de um livro. Eu sei que não é algo fácil, e quando ela me contou que havia conseguido a Editora Baraúna para publicar esse livro fiquei muito feliz, afinal eu gostei muito de 2012 e estava super ansiosa para ler o próximo livro dela.
Então pela minha ansiedade criou-se em volta da minha futura leitura de O Elemental uma aura de suspense, pois eu só conhecia a sinopse e um pouco do personagem principal, mais nada do livro. Mas eu confio no modo como a Vanessa escreve e sabia que ia gostar do livro.
Dito e feito! Quando comecei a ler logo percebi que adoraria O Elemental. E realmente ao terminar de ler eu cheguei a conclusão de que é muito bom mesmo.
Uma coisa que adoro no modo como O Elemental é escrito é que a história não fica presa apenas no que o personagem principal vê. Ela varia. alguns capítulos focam exatamente no que o Will não pode ver, ou seja o que acontece paralelamente ao que acontece naquele momento da narrativa.
Não sei se nesse exato momento você está pensando: “A Nathi não é suspeita para falar, afinal a Vanessa Bosso é a autora desse livro?”. Pois eu não sou não. O livro poderia ser de qualquer um, mas se eu achasse bom eu diria que é bom; E se eu achasse que é ruim eu também diria.
Mas continuando… Os personagens são extremamente bem trabalhados, e ao longo da leitura você percebe que eles são direta ou indiretamente ligados de alguma forma.
Além o disso o livro não é aquela coisa extremamente detalhado, o que deixa a leitura fluente e ao mesmo tempo abre sua mente para que você mesmo(a) possa imaginar como é aquele lugar ou aquele personagem.
E os romances durante o livro todo? Ai que vontade de chorar só de lembrar que eu já terminei de ler o livro.  Os romances são tão fofinhos, que dá vontade de pular lá dentro só para encarnar um deles.
Tirando o #meu Will, os personagens que eu mais gostei (não tem como escolher só um) foram o Mac e o Gabriel, ou simplesmente Anjo. Meu signo é do fogo, então já me identifiquei logo de cara com o Guardião do Fogo. E o Anjo é tão lindo e gentil que dá vontade de cair de um prédio para ver se ele me salva.
Enfim, chega de viajar nos lindos personagens desse maravilhoso livro. Eu poderia ficar aqui um dia inteiro descrevendo todos os personagens e falando dos pontos que mais gosto.
Outra coisa que gostei em O Elemental é a forma como em certos momentos do livro eu achava que tinha certeza de alguma coisa e de repente: Bum!!! Acontecia algo que levava a história por outro rumo. Ou seja o final é totalmente imprevisível.
Com certeza esse livro vai para a lista de melhores do ano!!! *-* 

Nota:

 

2 comentários:

 

VAN disse…

Ah Nathi, que delícia de resenha! Que bom que gostou do Elemental, fico muito feliz! Bjo grande. 

20 de setembro de 2011 07:47
 

Nícolas disse…

buenos, parece avatar! 

SuperExclamação

20 de setembro de 2011 15:27